Terremoto deixa mais de 45 mortos em região chinesa em lockdown

Ao menos 46 pessoas morreram após um terremoto de magnitude 6,6 atingir o sudoeste da China, segundo informou a mídia estatal do país.


Equipes de resgate foram direcionadas à região do terremoto; estradas e linhas de comunicação estão bloqueadas


O terremoto ocorreu nesta segunda-feira (5/9) às 13h no horário local (2h da manhã em Brasília) na província de Sichuan, a uma profundidade de 10 km.


O tremor interrompeu o funcionamento das telecomunicações e desencadeou deslizamentos de terra nas montanhas que causaram "danos graves", de acordo com a mídia local.


Cerca de 21 milhões de pessoas vivendo na capital de Sichuan, Chengdu, foram obrigadas desde a semana passada a ficar em casa devido a regras de controle do coronavírus.


O epicentro do terremoto foi em Luding, cidade em uma região montanhosa a cerca de 220 km a sudoeste de Chengdu.


A emissora estatal CCTV registrou que 17 pessoas morreram na cidade de Ya'an, enquanto 29 mortes foram relatadas pela prefeitura de Ganzi.


"Outras 16 pessoas estão desaparecidas e 50 ficaram feridas", informou a CCTV.

Tremores sacudiram prédios em Chengdu e na megacidade vizinha de Chongqing, deixando estradas bloqueadas e cortando linhas de comunicação em áreas que abrigam mais de 10.000 moradores.


Algumas usinas de energia precisaram fechar nas áreas de Ganzi e Ya'an.

Mais de 500 agentes de resgate foram direcionados para a região do epicentro, enquanto funcionários estão tentando desbloquear estradas afetadas por deslizamentos de terra.


Os moradores de Chengdu relataram ter visto pessoas em pânico correndo para fora de seus apartamentos depois de receberem alertas de terremoto nos celulares.


"Muitas pessoas ficaram tão aterrorizadas que começaram a chorar", disse Laura Luo, consultora de relações públicas, à agência de notícias Reuters.


Chengdu entrou em lockdown na semana passada


Quando o tremor começou, "todos os cães começaram a latir".


"Foi realmente muito assustador", lembrou Luo.


Morador de Chengdu, Chen disse à agência de notícias AFP que seus vizinhos de andares mais baixos afirmaram terem sentido o temor de forma bastante evidente.


"Mas como Chengdu está atualmente sob isolamento epidêmico, então as pessoas não podiam deixar seus complexos residenciais. Muitas delas correram para seus pátios."


Na sexta-feira, Chengdu se tornou a mais recente cidade a ser bloqueada pelas autoridades chinesas, na tentativa de conter o aumento dos casos de covid-19.


O tremor desta segunda-feira ocorre meses depois de que um terremoto de magnitude 6,1 atingiu Sichuan, em junho. A província é uma área propensa a terremotos, pois fica ao longo da borda leste do planalto Qinghai-Tibete.


Em 2008, um terremoto de magnitude 8,0 atingiu o condado de Wenchuan, no noroeste de Sichuan, matando 70 mil pessoas e causando destruição generalizada.



Por: BBC News

0 visualização0 comentário