top of page

Sport x Vasco esquenta reta final da Série B por últimas vagas de acesso

Só restam quatro rodadas para o fim da Série B e a briga para subir à elite do futebol brasileiro vai esquentar nesta reta final. O duelo entre o quinto colocado Sport e o quarto Vasco no próximo domingo, às 16h, em Recife, pode colocar o time pernambucano com a mesma pontuação da equipe carioca e igualar o número de vitórias. Os dois times empataram em 0 a 0 no duelo do primeiro turno.


O Sport vem de uma vitória sobre o campeão Cruzeiro por 3 a 1, na Ilha do Retiro, no último domingo, e não perdeu no estádio nesta Série B. Já o Vasco bateu o Novorizontino por 3 a 0 no sábado em São Januário, mas acumula um desempenho ruim como visitante: perdeu oito dos últimos nove jogos atuando fora de São Januário. O aguardado duelo pode acirrar ainda mais a luta para terminar a competição entre os quatro primeiros.



O presidente do Sport, Yuri Romão, destacou a atuação do clube na última janela de transferências para reforçar o time no segundo turno da Série B. “Sabíamos que tínhamos condições de brigar por esse acesso. A Série B é uma das competições mais difíceis e a disputa por uma vaga é enorme, basta ver quantos clubes estão na luta pelo acesso. Mas confiamos no nosso poder de reação e principalmente na força do nosso torcedor, que tem sido fundamental neste momento”.


Depois do confronto, o Sport enfrenta Londrina (fora de casa), Operário (casa) e fecha a competição contra o Vila Nova, em Goiânia. Já o Vasco tem duelos contra equipes que ainda sonham com o acesso. O time carioca ainda enfrenta o oitavo colocado Criciúma e o sétimo Sampaio Corrêa, ambos duelos em casa, e visita o sexto Ituano, em Itu, na última rodada.


O Cruzeiro é o único time matematicamente na Série A 2023. O Grêmio tem 96,1% de chances de acesso, segundo números do Departamento de Matemática da UFMG, enquanto o Bahia tem 89,2%. Completam a lista dos times com chance de subir de divisão: Vasco (64,6%), Sport (27,5%), Ituano (17,2%), Sampaio Corrêa (3%) e Criciúma (1,9%).


Por: Estadão (Redação).


0 visualização0 comentário
bottom of page