top of page

Seu Pereira lança primeiro álbum solo, ‘Módulo Lunar’

Com doze faixas, álbum estará disponível em todas as plataformas digitais a partir do dia 17 de novembro


Seu Pereira (Foto: Divulgação)


Dez anos após o lançamento do primeiro disco do projeto Seu Pereira e Coletivo 401, o cantor e compositor Seu Pereira lança o primeiro trabalho solo da carreira, “Seu Pereira – Módulo Lunar”, com canções mais intimistas e que mostra o lado pessoal do artista.


Compositor de canções de múltiplos estilos, o artista sempre sentiu vontade de gravar um disco solo e viu a oportunidade durante a pandemia, em meio ao isolamento social. Foi nesse momento que o cantor, mesmo à distância, compôs e produziu grande parte das músicas do álbum.


As doze faixas foram gravadas no Estúdio Gota Sonora, em João Pessoa, mixadas por Renato Oliveira com masterização de Rafael Toloi. O álbum estará disponível em todas as plataformas digitais a partir do dia 17 de novembro.


Durante o processo de criação, surgiram algumas parcerias. Uma delas com o pernambucano Juvenil Silva em “Dias impossíveis” e em “Gotham City Love”, onde o cantor faz uma participação com versos em inglês. O artista paraibano Chico Limeira também é um dos parceiros, além da participação na faixa “Já Era”, Chico é arranjador no disco, toca baixo em todas as faixas e assina a composição de “Perdido” ao lado de Seu Pereira.


A princípio, a ideia era fazer algo simples com voz e violão, mas o projeto tomou outra dimensão. Para Seu Pereira, a escolha por Renato Oliveira como produtor musical, foi uma decisão certeira por já conhecê-lo e terem feito outras parcerias musicais ao longo da carreira. Somando com Chico Limeira e unindo parceria, amizade e musicalidade, durante o processo, a produção musical foi compartilhada entre os três.


Diferente do trabalho com o “Coletivo 401”, que envolve um grupo maior de músicos, o “Módulo Lunar” representa o momento íntimo da carreira de Seu Pereira com um número menor de pessoas trabalhando no projeto. “A escolha do nome surgiu a partir da analogia a um módulo lunar que só permite a viagem de no máximo três tripulantes”, diz o cantor. A capa do disco é arte do próprio artista e representa o seu momento durante o processo, com a imagem de dentro do módulo lunar.


O disco “Módulo Lunar” conta também com a participação das vozes femininas de Juana Olmo, que está iniciando sua carreira como cantora na Argentina e fez a tradução da versão de “Eu não sou boa influência pra você” em Castelhano, e da cantora e atriz Mariana Petite, que participa da canção “A falsa memória da língua”. Além dessas vozes, o disco tem participações dos músicos paraibanos Jader Finamore (cavaquinho) e Helinho Medeiros (sanfona) na faixa “Se você quiser”, Sandro Rodrigo (eufônio) na faixa “Já Era” e Arielli Lima (vassourinha) na faixa “Fogo de Palha”.


Por: Redação - Portal Correio, 07/11/2022 10:56.

0 visualização0 comentário
bottom of page