top of page

Petrobras atinge valor histórico, Bolsa salta e dólar cai a uma semana do 2º turno



O mercado de ações brasileiro fechou nesta sexta-feira (21) acumulando uma alta semanal de 7%, a maior desde novembro de 2020, superando os também fortes ganhos semanais obtidos pelos índices de referência no exterior.


O Ibovespa subiu 2,35% nesta sessão e foi aos 119.928 pontos. Com esse resultado, o indicador parâmetro da Bolsa entrega agora um retorno de 14,4% em 2022. É um rendimento que já supera taxas de juros de referência, negociadas em contratos entre bancos, de curto e médio prazo.


As ações ordinárias e preferenciais da estatal Petrobras subiram 3,4% no dia e, com isso, chegaram a uma alta anual na casa dos 90%. Os preços de R$ 41,56 (PETR3) e R$ 37,72 (PTR4) são os maiores valores para esses ativos no registro histórico disponível no site da B3, a Bolsa de Valores do Brasil, que faz o acompanhamento desde 2000.


Além de ganhos pontuais com a valorização de matérias-primas importantes para exportadores brasileiros, analistas atribuem o resultado doméstico ao ânimo de investidores com as pesquisas de intenção de voto que, a uma semana do segundo turno da eleição presidencial, mostram a aproximação entre os candidatos Jair Bolsonaro (PL) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT).


No câmbio doméstico, o dólar comercial à vista recuou 1,34%, cotado a R$ 5,1480. Com isso, a moeda americana perdeu mais de 3% de valor em relação ao real nesta semana.


"Acho que o mercado brasileiro está refletindo o ambiente externo em conjunto com o local, com a eleição cada vez mais evidente nos preços dos ativos", disse Nicolas Farto, especialista em renda variável da assessoria Renova Invest.


"Alguns na Faria Lima comentam sobre a aproximação entre o presidente Bolsonaro e o ex-presidente Lula e isso parece ser o que está contribuindo mais", comentou Farto.


O cenário político mostrando a evolução de Bolsonaro trouxe um movimento comprador muito forte de setores da Bolsa que concentra estatais porque "a privatização faz parte do plano de governo do Bolsonaro", disse Victor Paganini, analista da Quantzed. "O mercado entende que é interessante que haja privatização dessas empresas."


Na quinta-feira (20), analistas também disseram que empresas foram beneficiadas pela avaliação de investidores de que Bolsonaro, cuja visão é considerada mais alinhada à do mercado, passou a ter chances de vencer o segundo turno após a divulgação, na quarta-feira (19), da mais recente pesquisa Datafolha.


Lula segue à frente de Bolsonaro, marcando 49% dos votos totais, ante 45% do rival. Os candidatos empatam, portanto, no limite da margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Brancos e nulos somam 4% e indecisos, 1%.


Na pesquisa realizada na semana passada, o petista marcava 49% dos votos totais e o atual presidente, 44%.


Camila Abdelmalack, economista-chefe da Veedha Investimentos, destacou, porém, que a queda do dólar e reação positiva dos mercados de ações também possui relação com discursos mais suaves de membros do Fed (Federal Reserve, o banco central americano) sobre a necessidade de continuar elevando juros. "Os investidores seguem monitorando esses discursos e calibrando suas apostas sobre o futuro da taxa de juros."


Em Nova York, o indicador parâmetro S&P 500 avançou 2,37%, no dia, e 4,74% na semana. Por lá, resultados de balanços trimestrais relativamente positivos motivavam momentaneamente investimentos em um mercado que cai cerca de 20% neste ano devido à política de aumento de juros para contenção da inflação.


Por: SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - CLAYTON CASTELANI.

0 visualização0 comentário
bottom of page