Manifestantes bloqueiam via Dutra e transportadoras cancelam viagens



Interdições em estradas do Rio de Janeiro nesta segunda (31) estão impedindo viagens e causando transtornos. Os bloqueios, feitos por apoiadores de Jair Bolsonaro (PL), são em protesto contra a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para a Presidência neste domingo (30).


Três dos cinco pontos de interdição registrados pela PRF (Polícia Rodoviária Federal) são na rodovia Presidente Dutra, que liga o Rio a São Paulo. Os outros dois são na BR-101, na altura de Angra dos Reis, e na BR-116, em Teresópolis.


Segundo balanço da concessionária CCR RioSP, com dados até as 12h15, o bloqueio em Barra Mansa continuava nos dois sentidos da Presidente Dutra.


A empresa afirma que implantou uma operação de contingência no km 303 da pista, em Resende (RJ), no sentido Rio. "Equipes da concessionária estão desviando o tráfego para o retorno, evitando que o motorista que está em viagem fique parado no congestionamento provocado pela manifestação", diz em nota.


A PRF afirma que apenas na cidade há o envolvimento de caminhoneiros e interdição total da pista. No município, há dois bloqueios, um deles feito por populares.


No sentido Rio, havia 18 quilômetros de tráfego parado. No sentido São Paulo, o congestionamento alcançava 10 quilômetros.


A Polícia Militar e a PRF estavam no local da manifestação, segundo a concessionária.

O museólogo João Pedro Miranda, 29, estava parado na Dutra há oito horas, devido a um protesto em Barra Mansa (RJ).


Depois de participar de um compromisso de trabalho em São Paulo, retornava ao Rio de ônibus, mas encontrou a barreira na estrada. "A gente está desde às 5h aqui", diz.


Em caso de uma abertura da via para ônibus, ele cogitava voltar à capital paulista e pegar um avião de volta ao Rio.


O bloqueio da Presidente Dutra provoca reflexos até para quem ainda está distante do ponto da manifestação. É o caso da servidora pública Maria Luiza Cruz, 34.


Ela passou o fim de semana no Rio, onde trabalhou como mesária nas eleições, e tentava retornar para São Paulo de ônibus, onde mora.


A passagem já estava comprada para uma viagem às 7h30, mas acabou cancelada em razão da manifestação dos caminhoneiros. "Acabei de cancelar minha passagem e estou vendo quanto está custando o bilhete de avião", disse.


Os bloqueios em Angra dos Reis (RJ) e Teresópolis (RJ) também são feitos por populares e têm interdição parcial da pista. Em Queimados (RJ), na região metropolitana, há uma concentração de pessoas, mas sem bloqueio, segundo a PRF.


Em São Paulo, ocorreram dois pontos de manifestações em rodovias federais nesta segunda-feira (31). Os focos ocorreram no km 51 da BR-153, em São José do Rio Preto, e no km 159 da BR-116, em Jacareí. Segundo a PRF, as pistas foram liberadas ainda pela manhã.


Os atos de de caminhoneiros, que ocorrem de modo simultâneo em vários estados, têm relatos de ânimos exaltados e confusão. Ainda segundo a PRF, às 7h, foi registrado um caso de vandalismo contra o carro de uma mulher. A PRF não deu mais detalhes sobre o episódio.


Ambulâncias e viaturas policiais teriam ficado trancadas. Também há registro de pessoas que passaram mal em ônibus retidos no congestionamento, segundo a PRF.


EMPRESAS DE ÔNIBUS CANCELAM VIAGENS ENTRE SÃO PAULO E RIO DE JANEIRO


Empresas de ônibus que realizam o trajeto entre São Paulo e Rio de Janeiro suspenderam as viagens na manhã desta segunda-feira (31).


Segundo a Socicam, empresa gestora da Rodoviária do Tietê, em São Paulo, o cancelamento foi necessário devido ao bloqueio na Dutra, que impede a passagem de veículos.


A venda de passagens para o estado do Rio de Janeiro também foi interrompida por tempo indeterminado. O comércio de passagens para outros destinos segue normalmente.


FÁBRICA DA CITRÖEN E PEUGEOT NO RJ SUSPENDE PRODUÇÃO


O polo automotivo da Stellantis em Porto Real, no Rio de Janeiro, suspendeu a produção na manhã desta segunda, em decorrência das manifestações que interromperam o tráfego na rodovia que dá acesso ao complexo industrial, impedindo a chegada de funcionários e peças.


A fábrica, que fica perto da Dutra, na região de Resende (RJ), produz motores e automóveis das marcas Citroën e Peugeot e emprega cerca de 1.800 pessoas.


A empresa diz estar pronta para retomar as atividades quando as condições logísticas permitirem.


BLOQUEIOS NÃO AFETAM CHEGADA DE ALIMENTOS A SÃO PAULO


A Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo) disse que os bloqueios nas estradas não afetaram a chegada de frutas, legumes e outros alimentos ao entreposto de São Paulo, na Vila Leopoldina.


"Na manhã desta segunda-feira, não houve impactos ou reflexos dos bloqueios nas rodovias. A movimentação e o abastecimento continuam normais", disse a companhia, em nota.


Por: RIO DE JANEIRO, RJ - SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS).

0 visualização0 comentário