Ida de Bolsonaro a Londres faz Mourão e Lira saírem do país, e Pacheco assume

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), vai assumir a Presidência da República durante a viagem do presidente Jair Bolsonaro (PL) para o velório da rainha Elizabeth 2ª, em Londres, no Reino Unido, no dia 19 de setembro.


*ARQUIVO* BRASÍLIA, DF, 09.04.2021 - O presidente do Senado federal, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), posa para fotos após entrevista, na residência oficial do Senado, em Brasília (DF). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

O cargo deveria ser ocupado primeiro pelo vice-presidente, Hamilton Mourão (Republicanos), e, em sua ausência, pelo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL). No entanto, os dois são candidatos nas eleições deste ano e, segundo a legislação eleitoral, não podem ocupar o cargo de presidente nos seis meses anteriores ao primeiro turno da eleição, em 2 de outubro.


A expectativa é que Bolsonaro viaje já no fim de semana para a solenidade de despedida da rainha, que ocorre na próxima segunda-feira, e no dia seguinte siga para Nova York, onde ocorrerá a Assembleia-Geral das Nações Unidas.


Neste caso, Mourão e Lira têm duas opções: um deles assumir a Presidência (o que o tornaria automaticamente inelegível) ou ambos saírem do país até que o Jair Bolsonaro volte.


A equipe de Hamilton Mourão confirmou à reportagem que o vice-presidente irá para o Peru, mas a reportagem aguarda informações sobre o período da viagem. Arthur Lira informou que também irá viajar, mas sua equipe afirma que ele ainda não definiu o destino.


Por isso, Rodrigo Pacheco, presidente do Senado, deve assumir as atribuições de presidente da República, segundo apurou a reportagem. Eleito senador em 2018 e com um mandato de oito anos, Pacheco não é candidato nas eleições atuais.


Por: DF (FOLHAPRESS)



0 visualização0 comentário