Deltan declara apoio a Jair Bolsonaro no segundo turno

Ex-procurador da Lava-Jato e deputado eleito pelo Paraná cita escândalos da era petista como motivos para trabalhar contra a eleição de Lula



Eleito deputado federal com mais de 344.000 votos, o ex-procurador Deltan Dallagnol, que chefiava as investigações da Operação Lava-Jato no Paraná, declarou nesta segunda-feira, 3, apoio ao presidente Jair Bolsonaro (PL) no segundo turno das eleições. Filiado ao Podemos, Deltan elencou nas redes sociais os motivos pelos quais endossa a candidatura do atual mandatário ao Palácio do Planalto e rejeita tanto a eleição de Lula quanto um eventual governo petista.



“Corruptos, vocês não vencerão. Eu agora vou fazer oposição à candidatura do Lula ou ao seu governo por sete razões: mensalão, petrolão, aumento da violência, saque às estatais, defesa da censura, apoio a ditaduras e a maior crise econômica da história”, disse o ex-chefe da força-tarefa do petrolão em um vídeo postado nas redes sociais.


O novo deputado afirmou que estará com Bolsonaro na campanha. “No segundo turno meu voto vai ser em Bolsonaro, contra Lula e o PT”, disse o deputado eleito.


“Nós precisamos unir o centro e a direita no Congresso em torno do combate à corrupção”, completou. Além de Dallagnol, a abertura das urnas neste domingo confirmou a eleição do ex-juiz Sergio Moro (União Brasil) como senador pelo Paraná e da advogada Rosângela Moro (União Brasil) como deputada federal por São Paulo. A trinca pretende defender no Congresso pautas relacionadas ao fim do foro privilegiado, à prisão após condenação em segunda instância e ao combate aos crimes de colarinho branco.


Por: Hugo Marques (VEJA).





0 visualização0 comentário