Após discurso na ONU, Bolsonaro terá reuniões com quatro presidentes

Presidente vai se encontrar com líderes do Equador, da Guatemala, da Polônia e da Sérvia. Segundo Itamaraty, tempo curto impede mais agendas



Após fala na abertura da 77ª Sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), na próxima terça-feira (20/9), o presidente Jair Bolsonaro (PL) terá reuniões bilaterais com quatro presidentes: Guillermo Lasso, do Equador; Alejandro Giammattei, da Guatemala; Andrzej Duda, da Polônia; e Aleksandar Vučić, da Sérvia.


Bolsonaro também deverá se reunir com o secretário-geral da ONU, António Guterres. A Assembleia da ONU ocorre em Nova York, nos Estados Unidos.


Antes da agenda nos EUA, Bolsonaro vai partir, no próximo sábado (17/9), rumo a Londres para acompanhar pessoalmente o funeral da rainha da Inglaterra Elizabeth II. Da capital inglesa, Bolsonaro seguirá direto para Nova York, onde deverá desembarcar ainda na segunda-feira (19/9). O retorno ao Brasil está previsto para a própria terça-feira.


O chanceler Carlos França acompanha o presidente da República na ONU e ficará em Nova York de segunda (19/9) até sexta-feira (23/9), para acompanhar toda a Assembleia. França participará de reuniões com outros chanceleres.


Segundo o secretário de Assuntos Multilaterais Políticos do Itamaraty, embaixador Paulino Franco de Carvalho Neto, a ausência de encontros com líderes das principais potências, como Estados Unidos, que sediam o encontro, se deve ao pouco tempo em que Bolsonaro ficará em Nova York. Ele acrescentou que o mandatário brasileiro poderá ter outros encontros com líderes em Londres.


“São dois aspectos que influenciam nessa lista de chefes de Estado e de governo com os quais o presidente poderá falar. O primeiríssimo deles é o pouco tempo em que o presidente estará em Nova York. Muito pouco tempo, menos que no ano passado. O segundo é a possibilidade de que em Londres possa haver encontros com outros líderes”, afirmou o representante do Itamaraty nesta quinta-feira (15/9). Ele, porém, não detalhou os possíveis encontros na Inglaterra.


Bolsonaro decidiu viajar aos Estados Unidos às vésperas do primeiro turno das eleições para discursar na abertura da Assembleia da ONU. Tradicionalmente, cabe ao presidente do Brasil abrir a lista de oradores da conferência, que este ano deve reunir 130 líderes na sede da organização, em Nova York.


Segundo o Itamaraty, Bolsonaro estará no país entre 19 e 20 de setembro de 2022. A Assembleia ocorre de 19 a 26 de setembro. O primeiro turno das eleições gerais brasileiras ocorre em 2 de outubro. Já o segundo turno, se houver, está marcado para 30 de outubro.


Participações anteriores na ONU


Esta será a quarta vez que Bolsonaro participará do evento das Nações Unidas. Em 2019, o presidente afirmou aos demais chefes de Estado que o Brasil tinha “compromisso solene” com a preservação ambiental e defendeu a soberania na Amazônia.


Em 2020, o mandatário brasileiro participou da assembleia de forma remota, em razão da pandemia de coronavírus. Na ocasião, o titular do Planalto disse que o Brasil era “vítima” de campanha “brutal” de desinformação sobre a Amazônia e o Pantanal.


Em 2021, afirmou que o Brasil estava “à beira do socialismo”. E frisou que o país não é a favor da exigência de comprovação de vacinação contra a Covid-19.


O teor do discurso a ser proferido pelo presidente neste ano só deve ser conhecido às vésperas do evento.


Por: Metrópoles (Flávia Said).

0 visualização0 comentário