Brasil Vox.png
Capturar_edited.png

Emerson e Jane Panta anunciam, junto com Wellington Roberto, apoio à candidatura de Bruno Roberto...

Paraiba

Buscar

Sabugy (Foto: Divulgação)


A Queimadense é o primeiro time matematicamente classificado para a próxima fase da Segunda Divisão do Campeonato Paraibano. O Carcará, jogou na parte da tarde no estádio Toca do Papão e derrotou o Serrano, por 2 a 0, na sequência da rodada, nesta terça-feira (27).


Com o resultado, a Queimadense chegou aos 15 pontos, assumindo a liderança do Grupo B, com seis partidas e não pode ser mais alcançado pelo quinto colocado, o Serrano, que tem apenas três pontos e joga só mais duas vezes.


Ainda nesta terça-feira (27), pela manhã, a bola rolou e o time da Serra Branca venceu o Sabugy por 2 a 1, no estádio Toca do Papão, em Sapé. O Sabugy abriu o placar, mas o Carcará venceu de virada somando mais três pontos.


O Sabugy teve a melhor oportunidade de abrir o placar, ainda no primeiro tempo, mas perdeu um pênalti. O goleiro Mauro Iguatu defendeu no primeiro tempo. Para o segundo tempo, a realidade foi a mesma da etapa inicial, mas o Sabugy saiu para o jogo e fez 1 a 0, gol de José Mateus, aos dois minutos.


O Serra Branca conseguiu estabelecer o empate de 1 a 1, com gol de Marcelo, aos 31 minutos da etapa final. O segundo gol do Carcará foi marcado por Nino Rocha, no último minuto da partida.


Nesta quarta-feira


Para a esta quarta-feira (28), a tabela da Segunda Divisão, programada mais uma vez no estádio Toca do Papão, na cidade de Sapé, tem mais duas partidas. A ordem dos jogos continua sendo um encontro pela manhã e outro à tarde.


Para o período matinal, o encontro determina o duelo entre Desportiva Guarabira e Spartax, às 10h. O time do Azulão precisa vencer para continuar mais perto da classificação. Os spartanos lutam ainda pela primeira vitória na competição depois de quatro jogos.


Ocupando a terceira colocação no Grupo A, a Desportiva Guarabira tem 33% de aproveitamento com cinco pontos, uma vitória, dois empates e duas derrotas, em cinco rodadas. O Azulão marcou dez gols e tomou 12.


Segurando a lanterna no grupo, com dois pontos, em quatro partidas, com dois empates e duas derrotas, o Spartax ainda luta desesperadamente pela primeira vitória. O time marcou cinco gols e tomou 11.


No período da tarde


No período da tarde, acontece o encontro mais esperado do dia. Entram em campo o líder e o vice-líder do Grupo A. Pela programação, às 15h, Confiança de Sapé e Perilima voltou a medir forças na primeira direta pelo topo.


Dono do mando de campo, contando com o apoio dos torcedores de Sapé, o Confiança promete fazer valer esta condição para conquistar mais três pontos. Mas o Bicho Papão vem de um empate com o Femar, de 1 a 1, resultado considerado negativo.


Com dez pontos, o Confiança tem um aproveitamento de 67% depois de cinco partidas, com três vitórias, um empate e uma derrota. Mas tem um bom saldo de gols, com 16 a favor e sete contra.


A Perilima continua na cola do líder e espera um descuido do adversário para chegar ao topo. A Águia de Campina soma nove pontos, em cinco jogos, com duas vitórias e três empates, sendo o único time invicto. A Perilima marcou dez gols e tomou seis.


Por: Portal Correio (Franco Ferreira).

Artigo 236 do Código Eleitoral impede que alguma autoridade utilize seu poder de prisão para interferir no resultado das eleições.


Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil


A partir desta terça-feira (27) e até 48 horas depois do primeiro turno de votação, no próximo domingo (2), nenhum eleitor poderá ser preso por qualquer autoridade, a não ser que seja pego em flagrante delito ou condenado por crime inafiançável.


A outra exceção é se a pessoa impedir o salvo conduto (direito de transitar) de outro cidadão, prejudicando assim o livre exercício do voto. Quem for pego praticando o delito poderá ser preso pela autoridade policial.


A regra e as exceções constam no Artigo 236 do Código Eleitoral (Lei 4.737/1965). A lógica do dispositivo, herdado de normas eleitorais antigas, é impedir que alguma autoridade utilize seu poder de prisão para interferir no resultado das eleições. O artigo é o mesmo que veda a prisão de candidatos, fiscais eleitorais, mesários e delegados de partidos nos 15 dias que antecedem o pleito.


A vedação não se aplica a quem for pego cometendo crime, ou logo depois de cometê-lo. Isso inclui crimes eleitorais. No dia da votação, por exemplo, poderá ser detido quem desrespeitar algumas proibições, como fazer propaganda de boca de urna, tentar arregimentar eleitores, usar equipamento de som na rua e promover comícios, entre outros.


Neste ano, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu proibir a presença de armas de fogo num raio de 100 metros de qualquer seção eleitoral. As poucas exceções incluem apenas agentes de segurança. A regra vale mesmo para quem possui permissão para o porte e vigora nas 48 horas que antecedem o pleito até as 24 horas que o sucedem.


A polícia também não está impedida de prender quem já tenha sido condenado por crime hediondo – por exemplo, tráfico, homicídio qualificado, estupro, roubo a mão armada, entre outros (Lei 8.072/1990). A proibição de prisões também só atinge quem for eleitor, ou seja, quem tiver gozo do direito político de votar.


No caso de qualquer prisão, a partir desta terça-feira (26) a previsão é que o detido seja levado à presença de um juiz para que seja verificada a legalidade do ato. Caso seja constatada alguma ilegalidade, o responsável pela prisão pode ser responsabilizado. A pena prevista é de quatro anos de reclusão.


Por: Portal Correio (Agência Brasil).

Efetivo da Polícia Militar da Paraíba terá reforço para combater principalmente crimes eleitorais; policiais começam a chegar nos municípios nesta quarta (28)


Foto: Divulgação/Polícia Militar


O contingente de segurança da Paraíba terá um reforço de 4 mil policiais militares até o domingo (2), data da realização do primeiro turno das Eleições 2022. A atenção será dada principalmente aos crimes eleitorais.


Segundo o comandante geral da Polícia Militar da Paraíba, coronel Sérgio Fonseca, a partir desta quarta-feira (28), os policiais já começam a chegar aos municípios paraibanos para fazer a proteção de mais de 1.750 locais de votação em todo o estado.


A “Operação Eleições 2022” começou nesta segunda-feira (26) em todo o país. Todas as forças de seguranças federais, estaduais e municipais participam da ação para garantir a segurança de eleitores, servidores da Justiça Eleitoral e dos candidatos.





Por: Portal Correio (Redação).

Últimas notícias

Novidades

entretenimento

esportes

Cidades