Brasil Vox.png
Capturar_edited.png

Emerson e Jane Panta anunciam, junto com Wellington Roberto, apoio à candidatura de Bruno Roberto...

Paraiba

Buscar


A União Europeia disse nesta quarta (28) que os dois gasodutos que ligam a Rússia à Alemanha sob o mar Báltico foram atacados e prometeu reagir. "Qualquer perturbação deliberada da infraestrutura energética europeia encontrará uma resposta unida e robusta", disse o diplomata-chefe do bloco, Josep Borrell.

Já o Kremlin criticou as suspeitas levantadas por autoridades ocidentais, nenhuma delas em público, de que os russos estariam por trás das explosões ocorridas perto da costa dinamarquesa nos gasodutos gêmeos Nord Stream 1 e 2.

"Isso é estúpido e previsível", disse o porta-voz Dmitri Peskov. Já sua colega do Ministério das Relações Exteriores, Maria Zakharova, insinuou que os Estados Unidos poderiam estar por trás da ação ao postar no Telegram um vídeo anterior à Guerra da Ucrânia com uma entrevista do presidente Joe Biden.

Nela, o americano diz que se os russos invadissem o vizinho, "não haverá o Nord Stream 2". O repórter insiste que não é um projeto dos EUA, e Biden retruca: "Eu te prometo, nós somos capazes de fazer isso". Zakharova então questiona se o presidente vai agora explicar se atacou ou não os gasodutos.

É retórica, visto que Biden provavelmente falava da pressão econômica que poderia fazer por meio de sanções sobre a Alemanha, como de resto seu antecessor Donald Trump já fizera para tentar inviabilizar o projeto energético que era o xodó do governo de Angela Merkel. Mas mostra o nível de tensão da situação. Borrell também não especificou quem estaria por trás das duas explosões subaquáticas no Báltico que afetaram os ramais. O Nord Stream 1 estava operando a baixa capacidade pelo que o Kremlin disse ser um problema técnico e os europeus, pressão política devido às sanções pela guerra, e o seu irmão nunca chegou a ser acionado comercialmente, mas estava carregado de gás para manter o sistema pronto para ser usado.


Os governos de Suécia, Dinamarca e Alemanha afirmam que trabalham com a hipótese de sabotagem, mas são cuidadosos em não apontar culpados ainda. Estocolmo foi além, reiterando que não considera o ataque um ato contra seu país, para baixar a tensão —os suecos estão, ao lado de finlandeses, em processo de adesão à Otan (aliança militar liderada pelos EUA) devido ao conflito na Ucrânia.


"Nós vamos apoiar todas as investigações para ter clareza total do que aconteceu e por quê, e daremos passos adicionais para aumentar nossa resiliência em segurança energética", disse Borrell em um comunicado.


Enquanto isso, os danos efetivos ao sistema estão sendo avaliados. Na Alemanha, o jornal Tagesspiegel disse que a avaliação extraoficial do governo é de que os danos podem ser permanentes. Cada ramal do Nord Stream tem dois gasodutos, somando quatro ao todo, e três foram afetados.


O sistema Nord Stream começou a operar em 2011, na forma de um consórcio multinacional liderado pela estatal russa Gazprom. Para a Alemanha, era uma forma de assegurar gás russo mais barato, por meio dos mais longos dutos subaquáticos já criados pelo homem, de 1.200 km de extensão.


Para Putin, era a oportunidade de selar a parceria estratégica com uma Europa dependente de seu produto, e de tirar progressivamente o fluxo dele pelos dois gasodutos soviéticos que passam pela Ucrânia, que ainda estão operando mesmo com a guerra. Eles davam uma carta na manga para Kiev, além de cerca de US$ 3 bilhões anuais em pedágio.


O episódio eleva ainda mais os temores europeus de um inverno difícil à frente. O continente tem tentado acesso a fontes alternativas de gás, mas esse é um processo de longo prazo. Os preços já estão até dez vezes mais altos do que a média da década, e governos temem a insatisfação popular, já que as casas poderão ficar sem aquecimento, e as indústrias, sem energia.


Os EUA e a União Europeia, assim, acusam Putin de transformar o gás em arma, já que conta com a pressão para reduzir o apoio continental aos ucranianos na guerra.


Por: SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS)


O Corinthians voltou a vencer no Campeonato Brasileiro. Fez 2 a 1 no Atlético-GO, nesta quarta-feira, na Neo Química Arena, e chegou aos 47 pontos, voltando ao quarto lugar. O gol da vitória, de Yuri Alberto, saiu aos 42 minutos da etapa final.


Mesmo na casa do Corinthians, o Atlético não se inibiu no início. Procurou fazer um jogo ofensivo quando tinha espaço e podia tentar as jogadas em velocidade. Marcava forte desde a saída de bola e, sem ela, se recompunha com rapidez. Em dez minutos, teve uma chance em chute de Luiz Fernando e outra com Airton, em que Cássio fez grande defesa.


O problema foi que o time goiano acabou dando um contra-ataque ao Corinthians. E isso lhe foi fatal. Mosquito lançou Yuri Alberto, que avançou e bateu. O goleiro Renan espalmou, mas o rebote caiu no pé de Róger Guedes. 1 a 0, aos 11 minutos.



O Atlético não se abateu e reagiu rapidamente. Empatou cinco minutos depois, quando Luiz Fernando lançou Wellington Rato na corrida. Ele tocou na saída de Cássio e marcou.


A partida continuou movimentada, com os visitantes um pouco superiores em campo, graças à sua disposição de atacar. O Corinthians tinha dificuldade para articular as jogadas, mas, quando era mais objetivo na frente, conseguia concluir as jogadas.


Churín teve duas boas chances para os goianos, Róger Guedes respondeu para o Alvinegro, que quase passa à frente com um chute de Fausto Vera de fora da área.


Mas o grande lance do primeiro tempo não terminou em gol. Após tabelar com Yuri Alberto, Róger Guedes chegou a driblar Renan, mas perdeu o ângulo e chutou para fora. O Atlético voltou para a etapa final da mesma maneira agressiva e até pressionou o Corinthians nos minutos iniciais. Aos 3 minutos, Dudu obrigou Cássio a fazer boa defesa. Yuri Alberto respondeu aos 7, com chute de fora da área, mas Renan colocou para escanteio.


Vítor Pereira começou a mexer no time com 10 minutos, deixando-o mais ofensivo. Com isso, o Corinthians passou a se sentir mais à vontade em campo e a importunar mais os goianos. Róger Guedes perdeu duas grandes chances - Renan defendeu ambas. O Atlético chegou com Léo Pereira, que errou o alvo.Mas a melhora do Corinthians se transformou em vitória quando Renan, aos 42 minutos, rebateu outra conclusão de Róger Guedes. Yuri Alberto pegou a sobra e fez o gol da vitória, castigando o Atlético-GO, que jogou bem, mas continua bastante ameaçado pelo rebaixamento. É o penúltimo, com 22 pontos.


FICHA TÉCNICA


CORINTHIANS 2 X 1 ATLÉTICO GOIANIENSE


GOLS: Róger Guedes, aos 11, Wellington Rato, aos 16min do primeiro tempo. Yuri Alberto, aos 42 min do segundo.


CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Bruno Méndez, Gil e Fábio Santos (Lucas Piton); Du Queiroz, Fausto Vera (Giuliano) e Renato Augusto (Matheus Vital); Gustavo Mosquito (Adson), Yuri Alberto e Róger Guedes. Técnico: Vítor Pereira.


ATLÉTICO-GO: Renan; Dudu, Wanderson, Lucas Gazal e Arthur Henrique (Jefferson); William Maranhão; Baralhas (Marlon Freitas) e Wellington Rato; Airton (Léo Pereira), Churín e Luiz Fernando (Edson Fernando). Técnico: Eduardo Baptista.


JUIZ: Leandro Pedro Vuaden.

AMARELOS: Luiz Fernando, Airton, Churín.

PÚBLICO: 32.398 (total).

RENDA: R$ 1.624.476,50.

LOCAL: Neo Química Arena.


Por: Estadão.





Globo surpreende com decisão sobre seu principal narrador no ano de sua aposentadoria


Crédito: Divulgação/Globo


A TV Globo decidiu barrar Galvão Bueno do jogo de abertura da Copa do Mundo 2022. Pela primeira vez em 36 anos, o narrador, que está se despedindo da emissora, não irá comandar o jogo de estreia da competição.


O locutor não estará na narração do jogo entre Catar x Equador no dia 20 de novembro, às 13h (de Brasília). A informação foi divulgada pelo site Notícias da TV. Além de não participar da partida, Galvão Bueno nem mesmo estará presente na cerimônia de abertura do Mundial.


Ao site, o narrador confirmou que sua estreia na Copa do Mundo 2022 será na partida entre Brasil x Sérvia, em 24 de novembro, às 16h (de Brasília).


“Eu narro os últimos amistosos da Seleção (contra Gana e Tunísia) antes da convocação, e depois só volto a narrar a estreia do Brasil na Copa”, disse ele.


Em declaração ao site da Globo no evento de anúncio da equipe que fará parte da grade de comentaristas e narradores do Mundial, Galvão falou sobre sua participação.


“Eu vou viver a emoção da última Copa e não vou mais fazer nada em nenhuma televisão desde que não seja alguma coisa na Globo. Nós estamos conversando para que eu permaneça mais um tempinho fazendo algumas coisas pontuais. Não existe contrato assinado, estamos conversando. Não será narração. Não narro mais. Mas um programa aqui, uma participaçãozinha ali, um convite para falar umas bobagens na Olimpíada… Alguma coisa nesse sentido”, disse Galvão Bueno.


Estreia na Globo


Segundo o portal, o narrador que vai comandar a partida de abertura do Mundial do Catar será Luís Roberto. Além dele e do próprio Galvão, Luiz Carlos Jr. e Milton Leite serão os narradores enviados ao país para o evento. Sendo que os dois últimos serão especialmente para os jogos transmitidos no SporTV.



Por: Torcedores.com (Rogério Araujo).

Últimas notícias

Novidades

entretenimento

esportes

Cidades